Belém do Pará

Passear por Belém, cidade das mangueiras, é viajar no tempo e descobrir um Brasil amazônico. Nas primeiras ruas da cidade, construções portuguesas dos séculos 17 e 18, completamente restauradas e revitalizadas, abrem suas portas para a celebração de estilos arquitetônicos como o neoclássico do italiano Antonio Landi e convidam o turista para noites de requinte musical e gastronômico. No centro da cidade, todo o charme da Belle Époque do ciclo da borracha é cultivado em prédios como o Theatro da Paz e o Palacete Bolonha.

Quem acompanha os passos e o traçado do povo de Belém consegue sentir a força dos povos da Amazônia. Fruto da mistura de raças e ritmos, o Carimbó é uma dança marcada com um pau oco escavado que serve como tambor – uma invenção indígena; que vibra com atabaques e quadris africanos; e encena alguns movimentos, palmas e estalares de dedos portugueses. Outra atração da cultura regional são as cerâmicas marajoara e tapajônica.

Belém hoje garante estrutura e logística para eventos, com modernos auditórios e centro de convenções. Por meio da bem distribuída rede de hotéis, agências de serviços e restaurantes da cidade, todo o exotismo da Amazônia pode ser desfrutado com comodidade.

Paisagens arrebatadoras, praias inexploradas e rios que lavam a alma, esse é o destino dos corações que se aventuram pelas trilhas da Amazônia. Belém é para quem quer conhecer o Brasil selvagem, de cultura autóctone milenar, ritmo mais calmo e sabores inesquecíveis. Com todo o conforto para os mais exigentes.

Do café da manhã ao jantar, Belém tem delícias tão marcantes e variadas quanto a biodiversidade da Amazônia pode oferecer. Deleite-se com todos os ingredientes, preparos e modos de servir da culinária mais exótica do Brasil.

Todo dia, o Complexo do Ver-o-Peso expõe o frescor da Amazônia em suas barracas. De manhã cedo, os barcos vão chegando com o açaí, os peixes e tantos outros artigos das ilhas de Belém. A baía do Guajará comemora jogando sua brisa sobre os mercados da carne e do peixe, construídos com ferro trazido da Inglaterra nos navios portugueses. Não há turista que resista ao perfume do patchuli, e aos poderes das ervas que trazem soluções para todos os males, inclusive os do coração.

A maior procissão religiosa do Brasil emociona turistas de todas as crenças. No segundo domingo de outubro, o “Natal dos Paraenses”, como também é chamado o Círio de Nazaré, reúne dois milhões de pessoas numa mesma emoção. A força deste sentimento de esperança é a maior das graças que se pode alcançar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s